Thursday, October 22, 2009

Voltar a casa

Pensei que já tinha passado por todo o tipo de mudanças profundas na minha vida e que agora conseguia lidar bem com elas... não podia estar mais enganada. Agora as mudanças são diárias, tudo é incerto e muda a um ritmo alucinante... ou será que sempre foi assim e eu é que me recusava ver? talvez...

A verdade é que sinto tudo a rodar à minha volta, sinto-me no meio duma tempestade, sinto-me enjoada e procuro algo a que me agarrar, mas tudo escapa, tudo muda, nada é constante, tudo é efémero.

Sei que só posso encontrar a estabilidade que procuro dentro de mim mesma, mas estou tão habituada a apoiar-me no exterior... a verdade, nua e crua, é que não confio em mim mesma para me dar essa segurança, sinto que me falhei muitas vezes, sinto que cedi no que acreditava para agradar aos outros e mesmo agora não sei se consigo enfrentar o mundo e mostrar-me exactamente como Sou, sem necessitar de aprovações...

Procuro o caminho para Casa, para a casa que existe dentro de mim, porque só essa pode acolher-me para sempre, apenas aí posso encontrar o amor e a protecção que procuro e que me escapa sempre que estendo a mão ao mundo exterior... mesmo quando o encontro no exterior, o facto é que me sabe a pouco, não preenche todo o vazio que existe em mim, isso só eu posso fazer...

4 comments:

流浪汉 瑜伽 Yoga Tramp said...

ohh u hv a nice blog here,friend nice to meet u, u like yoga?i would like to share some yoga kknowledge to u

made in ♥ love said...

Adorei a parte onde dizes que tentas encontrar o caminho para casa, uma casa que tens dentro de ti... muito bom mesmo...

Um beijinho
Eduarda
Be in ♥ love

Kali said...

Yup, I like yoga!

Eduarda, agradeço as tuas palavras.

Beijos

Funny said...

Essa casa que está sempre tão perto e por vezes tão longe. É como um baú, tem coisas lindas, mas simultaneamente pode-nos surpreender com o que tem lá dentro, por vezes quase que nos chega a assustar, quando o que descobrimos dentro de nós causa estranheza, dúvidas ou reacções adversas no nosso mundo exterior, em quem/no que nos costumávamos apoiar.

No entanto o que reside dentro de nós é uma pequena maravilha, não devemos ter medo de descobrir o caminho para casa e percorrê-lo.

Quando chegares a casa acende a luz, e assim ajudarás a iluminar o caminho de outros rumo à sua própria casa.