Tuesday, May 26, 2009

Mergulhar em mim mesma

Encontrar a minha força permitiu-me obter a liberdade que tanto sonhava. Mas agora que sei que posso ser tudo o que desejar e que nada me prende, vem a grande questão: o que quero eu? E a resposta é um frustrante: não sei.

Quem sou eu? O que quero eu da vida? Quem nasci para ser? Estas são as perguntas que tenho feito a mim mesma e ao universo nestes últimos dias.

Sinto-me mudar, sinto que nada voltará a ser o mesmo, que eu não voltarei a ser a mesma. É um turbilhão de emoções, sentimentos, recordações... Sinto que passou por mim um furacão e que anda tudo pelos ares.

O retiro xamânico do fim-de-semana com a LuzClara e a sessão de leitura da aura de hoje, vieram abanar ainda mais tudo o que já andava aos saltos...

Sentimentos profundos, que me fizeram mudar de vida, desvanecem-se em recordações de outras vidas, enquanto que outros que julguei não voltar a sentir tomam o seu lugar de outrora... Sinto-me perdida nesta montanha russa de emoções: hoje quero, amanhã não quero, depois afinal já quero...

Apetece-me gritar até não ter mais forças e simplesmente deixar de sentir.

O que me anima é o saber que depois da tempestade vem sempre a bonança e que à noite escura sucede sempre o amanhecer luminoso. Resta-me apenas continuar a caminhar, a mergulhar neste oceano de emoções e sentimentos.

2 comments:

Mag said...

Acho que todos passamos por momentos assim, uma espécie de metamorfose, em que nos (re)descobrimos. Nos últimos meses, ando a atravessar uma fase semelhante, e a verdade é que não sei muito bem em quem ou em quê me hei-de apoiar (para juntar ao facto de que sou demasiado independente!).
Um grande beijo e muita, muita Luz!

Kali said...

Concordo contigo, Mag, vamos renascendo borboletas das borboletas que já somos.

Para mim aquilo que funcionou, foi mesmo o mais difícil: parar e sentir tudo o que ia cá dentro. Da minha experiência, parece-me a única forma de te encontrares realmente a ti mesma e não te perderes na verdade dos outros.

Ontem, sentia que estava no fundo escuro, e devia estar mesmo no fundo do fundo, porque hoje sinto-me muito melhor!

Luz e muito amor para ti, minha querida :)